14 de julho de 2011

ESPINHA DE PEIXE - RUFANDO OS TAMBORES, por Ayrton Jr


Não foi à toa que estreiamos a seção BluesGraf Recomenda com a banda Espinha de Peixe! Quem foi ao show deles, no belíssimo Teatro Municipal de Niterói, no Dia Mundial do Rock, pôde constatar in loco a qualidade e a energia desta excelente banda niteroiense! Ao final do show, fui parabenizar o João “Sem Rumo” pela excelente performance e ele prontamente me confidenciou: “estamos nos aproximando do tom certo”...
A origem da banda remonta aos anos 70, quando Pardal (violão e voz) e João (violão de 12 cordas e voz) tiveram a ideia de montar uma banda, aproveitando que tinham um grupo de amigos em comum, que se reunia semanalmente para criar, tocar e viver a música. Traziam na bagagem influências de músicos como Alceu Valença e Zé Ramalho, e de bandas como Pink Floyd e Led Zeppelin.
Em meados dos anos 90, Pardal e João incluíram na formação os músicos Felipe Melo (guitarra e voz), Marcos Leite (bateria) e Kadú (baixo), gerando assim a banda Espinha de Peixe. Efetivou-se, então, a formação clássica: violões, guitarra, baixo e bateria - ancorados em letras que transpiram pela alma. Definitivamente, a ampliação do grupo aconteceu trazendo um desempenho ainda mais consistente – o que fica comprovado com a gravação do CD “Pé na Estrada”. Na formação atual, Kadú deu lugar à Pinaud que, por motivos de saúde, não pôde participar às vésperas do show acima citado.
Denominam sua música como “original rock-rural” – repleta de misturas que reúnem elementos de MPB, hard rock, progressivo e psicodélico. Quer nas letras, quer nos arranjos e, principalmente, na interpretação das composições, a banda expressa os sentimentos mais profundos do ser humano: a busca constante da reflexão, a vontade de reformar, de manter as esperanças. De derrubar paradigmas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário